Altaneirense fala sobre o dia em que se comemora a liberdade dos negros

O Ceará comemora, no dia 25 de março, a declaração da abolição da escravatura, realizada em 1884, quatro anos antes da assinatura da Lei Áurea, tornando o estado como a primeira província a decretar, oficialmente, o fim da escravidão no Brasil. Abordando esse tema a reportagem do Informativo esteve com a Altaneirense Antonia Souza onde a mesma relata a importância dessa data frisando está surpresa com o avanço do Ceará em relação ao negro.Ao relatar sobre o avanço ela relembra que o negro sempre foi visto com inferioridade, a empregada domestica preta ganha menos que a branca.
Antonia Souza após entrevista. Foto: Francilene Oliveira.

Mesmo após 130 anos do fim da escravidão, esse tema ainda gera polêmicas e discussões. Pesquisas acadêmicas no âmbito da História, da Antropologia e da Sociologia, realizadas nos últimos 20 anos, propõem um olhar mais crítico sobre a abolição, em especial, na perspectiva de resgatar o protagonismo dos próprios africanos escravizados na luta pela libertação.

Ao ser questionado sobre esse tema o Altaneirense Angelo Rauan relata que esta data ainda é esquecida pela sociedade maior, relata ainda o seu orgulho em ser negro, e que em Altaneira temos que não enfatizar esse dia, mas sim realizar, trazer para nossa realidade.
Angelo Rauan, imagem retirada da rede social Facebook.
Em Altaneira não se tem movimentos negros, os únicos manifestos da cultura negra é realizado pelas escolas a citar a Escola Santa Tereza e a  Fundação Arca que realizou no ano de 2014 a semana Afro cultural. Então, Você negro se valorize eu Francilene sou negra e você? 

Matéria sujeita a alterações .
Confira o áudio da entrevista abaixo: 

IBGE vai priorizar Censo Agropecuário e pesquisa da base territorial

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) concentrará esforços, a partir de agora, no planejamento do Censo Agropecuário de 2016 e na redefinição do plano de trabalho da Base Territorial e do Cadastro de Endereços, com o cancelamento da contagem da população do próximo ano.
Em boletim interno, divulgado para seus funcionários, o IBGE, comunicou que a contagem da população não poderá ser feita porque, para isso, os preparativos deveriam ser iniciados ainda em 2015.
Procurado pela Agência Brasil, o IBGE informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o adiamento da pesquisa decorre do corte no orçamento do órgão para este ano. O IBGE reiterou, porém, que está preparado para fazer todas as pesquisas. O que inviabiliza a contagem populacional é o corte no orçamento, e não um problema interno na instituição. A contagem tem custo estimado de R$ 2,6 bilhões.
O instituto informou que serão preservadas as demais pesquisas, consideradas fundamentais para a radiografia macroeconômica do país, entre as quais o Sistema de Contas Nacionais, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua) e a Pesquisa de Orçamentos Familiares.
FONTE Agência Brasil

TRF lança edital com mais de 220 vagas par Juiz Federal Substituto

A partir das 10h próximo dia 30 (segunda-feira) bacharéis em Direito com três anos de atividade jurídica podem concorrer a uma das centenas de vagas para Juiz Federal Substituto em concurso promovido pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região.
Ao todo os interessados poderão concorrer a 228 vagas. De acordo com o edital, as inscrições serão realizadas por meio do site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (CESPE), banca organizadora do certame. Para confirmar a inscrição é necessário pagar a taxa de participação no valor de R$239.
Composto por diversas fases, a prova objetiva seletiva e as provas escritas, bem como os exames de sanidade física e mental, o exame psicotécnico e a perícia médica dos candidatos que se declararam com deficiência acontecerão em Belém, Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Cuiabá, Goiânia, Macapá, Manaus, Palmas, Porto Velho, Rio Branco, Salvador, São Luís e Teresina. As demais etapas serão realizadas em Brasília.
Inicialmente, o prazo de validade do concurso é de dois anos, podendo ser prorrogado por um igual período. Aos aprovados será pago o subsídio no valor de R$23.997,19.
FONTE Diário do Nordeste

Produção de lixo deve crescer 50% em 21 anos

Image-0-Artigo-1822970-1
Para 2022, a estimativa é que sejam gerados 11.250,03 toneladas diárias de detritos. Já em 2034, projeções indicam 14.440,88 toneladas
Foto: josé leomar 
 
O grande volume diário de lixo descartado, hoje, no Estado é resultado de décadas da quase ausência de educação ambiental por parte dos cearenses, associada à ineficácia de ações públicas para reduzir a produção de detritos. Mas a situação que já é ruim pode ficar ainda pior, caso medidas emergenciais não sejam tomadas. Projeções divulgadas pela Secretaria de Meio Ambiente (Sema) revelam que, em 21 anos, a geração diária de resíduos sólidos no Ceará deve aumentar cerca de 50%.
Os dados fazem parte do Panorama de Resíduos Sólidos do Ceará, diagnóstico apresentado, ontem, pelo órgão durante o Seminário Estadual de Cenários para Gestão de Resíduos Sólidos. O levantamento foi realizado com base em informações dos anos de 2013 a 2015 e tem por meta subsidiar a elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos, que, a passos lentos, ainda está em andamento.
Em 2013, diz o estudo, os municípios cearenses, juntos, contabilizaram 9.575,88 toneladas de lixo por dia. Com base no histórico de geração de resíduos no Estado, para o ano de 2022, a estimativa é que sejamos responsáveis por 11.250,03 toneladas diárias de detritos. Já em 2034, as projeções do órgão indicam que a produção deve alcançar 14.440,88 toneladas de lixo diariamente, 50% superior à registrada dois anos atrás.
Descartáveis
"Esse alto número pode ser explicado tanto pelo crescimento da população urbana, como pelo aumento da cultura dos descartáveis e pela falta de um programa de educação ambiental para resíduos", diz o engenheiro ambiental Francisco Humberto Carvalho Jr, coordenador do Plano Estadual de Resíduos Sólidos.
Mas, enquanto as previsões apontam para uma produção cada vez maior de lixo, continuam faltando ações para destinar e tratar corretamente o que é gerado. Os lixões, que, de acordo com as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos, deveriam ter sido extintos em agosto do ano passado, ainda são destino final de 97% dos detritos no Estado. O número de depósitos, conforme o levantamento, tornou-se incalculável, devido à rapidez com a qual se formam e se encerram, sem o controle dos municípios. Só 3% dos resíduos são acondicionados em aterros sanitários, método estabelecido pela lei para a disposição do lixo, já que reduz a contaminação do solo.
Vanessa Madeira
Repórter
FONTE Diário do Nordeste